A A A

Coton de Tuléar

PADRÃO OFICIAL DO COTON DE TULÉAR

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA
FÉDÉRATION CYNOLOGIQUE INTERNATIONALE

Classificação F.C.I.: 283
Grupo 9 - Cães de Companhia
Seção 1 - Bichons e Raças Assemelhadas
1.2 - Coton de Tuléar
Padrão FCI no 283 - 04 de fevereiro de 2000.
País de origem: Madagascar
País Patrono: França
Nome no país de origem: Coton de Tuléar
Utilização: Companhia
Sem prova de trabalho

COTON DE TULÉAR
NOMENCLATURA CINÓFILA UTILIZADA NESTE PADRÃO


1 - Trufa 13 - Perna 25 - Braço
2 - Focinho 14 - Jarrete 26 - Ponta do esterno
3 - Stop 15 - Metatarso 27 - Ponta do ombro
4 - Crânio 16 - Patas
5 - Occipital 17 - Joelho
6 - Cernelha 18 - Linha inferior
7 - Dorso 19 - Cotovelo a - profundidade do peito
8 - Lombo 20 - Linha do solo
9 - Garupa 21 - Metacarpo b - altura do cotovelo
10 - Raiz da cauda 22 - Carpo
11 - Ísquio 23 - Antebraço a b = altura do cão
12 - Coxa 24 - Nível do esterno na cernelha

APARÊNCIA GERAL: pequeno, pêlos longos, cão de companhia, com uma pelagem branca de textura de algodão, com olhos escuros, redondos e uma expressão viva e inteligente.

PROPORÇÕES IMPORTANTES
- a altura na cernelha em relação ao comprimento do corpo é de 2 para 3.
- o comprimento da cabeça em relação ao do corpo é de 2 para 5.
- o comprimento do crânio em relação ao do focinho é de 9 para 5.

COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: de caráter alegre, equilibrado e muito sociável com os humanos e com outros cães. Adapta-se perfeitamente a qualquer estilo de vida. O temperamento do Coton de Tuléar é uma das principais características da raça.

CABEÇA: curta; vista de cima, triangular.

REGIÃO CRANIANA
CRÂNIO: visto de frente, ligeiramente arredondado, bastante largo em relação ao seu comprimento. Arcadas superciliares pouco desenvolvidas. O sulco frontal assim como a protuberância e a crista occipital são pouco marcados. Arcadas zigomáticas bem desenvolvidas.
STOP: ligeiro.

REGIÃO FACIAL
TRUFA: em prolongamento da cana nasal. Cor preta; marrom é tolerado; narinas bem abertas.
FOCINHO: reto.
LÁBIOS: finos, aderentes, da mesma cor da trufa.
MAXILARES / DENTES: dentes bem alinhados. Mordedura em tesoura, torquês ou tesoura invertida, sem perder contato. A ausência dos P1 não será penalizada; os M3 não são levados em consideração.
BOCHECHAS: magras.
OLHOS: redondos, escuros, vivos, bem separados; as bordas das pálpebras são bem pigmentadas de preto ou marrom de acordo com a cor da trufa.
ORELHAS: pendentes, triangulares, inseridas altas no crânio, finas nas pontas; portadas rentes às bochechas, alcançando a comissura labial. Cobertas por pêlos brancos ou com tons de cinza claro ( mistura de pêlos brancos com pretos que dá uma aparência de cinza claro) ou vermelho ruão (mistura de pêlos brancos com fulvo que dá uma aparência de vermelho ruão).
PESCOÇO: bem musculoso, ligeiramente arqueado. Pescoço bem inserido nos ombros. Proporção pescoço/corpo = 1/5. Pescoço limpo, sem barbelas.
TRONCO: linha superior ligeiramente convexa. Cão mais longo do que alto.
DORSO E LOMBO: dorso forte, linha superior muito ligeiramente arqueada. Lombo bem musculoso.
GARUPA: oblíqua, curta e musculosa.
PEITO: bem desenvolvido; bem descido até o nível dos cotovelos; longo. Costelas bem arqueadas.
LINHA INFERIOR: esgalgada, mas não excessivamente.
CAUDA: inserida baixa, no eixo da coluna vertebral.
- Em repouso: portada abaixo do jarrete, a ponta sendo levantada.
- Em movimento: portada alegremente curvada sobre o dorso, com a ponta em direção à nuca, cernelha, dorso ou lombo. Em cães com pelagem abundante, a ponta pode repousar na região dorso-lombar.
MEMBROS ANTERIORES: as pernas dianteiras são bem aprumadas.
OMBROS E BRAÇOS: ombros oblíquos, musculosos. Ângulo escápulo-umeral mais ou menos 120°. O comprimento dos braços corresponde aproximadamente ao da escápula. ANTEBRAÇOS: ângulo úmero-radial de mais ou menos 120°. Os antebraços são verticais e paralelos, bem musculosos, com bons ossos. O comprimento do antebraço corresponde aproximadamente ao do braço.
CARPOS: a continuação da linha do braço.
METACARPOS: fortes; vistos de perfil, ligeiramente oblíquos. Patas dianteiras: pequenas, redondas, dedos fechados, arqueados; almofadas pigmentadas.
MEMBROS POSTERIORES: aprumados. Apesar de não serem valorizados, a presença de ergôs não é penalizada.
COXAS: fortemente musculosas, formando um ângulo coxofemoral de 80°.
PERNAS: oblíquas, formando com o fêmur um ângulo de mais ou menos 120°.
ARTICULAÇÃO DO JARRETE: seca, bem definida, ângulo de mais ou menos 160°.
METATARSOS: verticais.
PATAS POSTERIORES: idênticas às anteriores.
MOVIMENTAÇÃO: livre e fluente, sem cobrir muito o solo. Durante a movimentação, o dorso se mantém firme e sem sinal de movimento irregular.
PELE: fina e bem aderente ao corpo em cada uma de suas partes. É de cor rosa, mas pode ser pigmentada.

PELAGEM
PÊLO: é a maior característica desta raça, da qual seu nome deriva. Muito macia e flexível com a textura do algodão, nunca dura ou áspera; a pelagem é densa, profusa e pode ser levemente ondulada.
COR: cor de base: branca. Uma ligeira sombra de cor cinza claro (mistura de pêlos brancos com pêlos pretos) ou vermelho ruão (mistura de pêlos brancos com pêlos fulvos) é permitida nas orelhas. Nas outras partes do corpo, esses tons podem ser tolerados se não alterarem a aparência geral de uma pelagem branca, mas não são desejados.

TAMANHO
MACHOS: 26 a 28 cm, tolerância de 2 cm para cima e 1 cm para baixo.
FÊMEAS: 23 a 25 cm, tolerância de 2 cm para cima e 1 cm para baixo.

PESO
MACHOS: de 4 kg. Máximo de 6 kg.
FÊMEAS: de 3,5 kg. Máximo de 5 kg .

FALTAS: qualquer desvio dos termos desde padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade.

FALTAS GRAVES
CRÂNIO: plano ou abobadado demais; estreito.
FOCINHO: desproporção entre crânio e focinho.
OLHOS: claros, demasiadamente amendoados, ectrópio, entrópio, olhos esbugalhados.
ORELHAS: demasiadamente curtas, com insuficiência de pêlos, orelhas dobradas para trás (orelha em rosa).
PESCOÇO: muito curto, muito fundido nos ombros, muito delgado.
LINHA SUPERIOR: muito arqueada, selada.
GARUPA: horizontal, estreita.
OMBROS: retos.
MEMBROS: virando para dentro ou para fora, cotovelos soltos, jarretes muito separados ou muito juntos, angulações retas.
PÊLO: muito curto, muito ondulado, crespo.
PIGMENTAÇÃO: falta de pigmentação ou pigmentação muito clara nas bordas dos olhos ou lábios. Trufa descolorada, com áreas sem pigmento.

FALTAS ELIMINATÓRIAS
TIPO GERAL - falta de tipicidade (insuficiência de características raciais, quer dizer que de um modo geral o animal não se assemelha suficientemente a outros exemplos da raça). - tamanho e peso fora do requerido e tolerado pelo padrão.

PONTOS PARTICULARES
- cana nasal convexa.
- olhos: esbugalhados com sinais de nanismo, muito claros, porcelanizados.
- orelhas: eretas ou semi-eretas.
- cauda: não atingindo o jarrete; inserida alta; completamente enrolada (formando um anel fechado); portada plana sobre o dorso ou a coxa; portada verticalmente; sem cauda.
- pêlo: atípico, crespo, lanoso ou sedoso.
- cor: com abundância de manchas, qualquer mancha preta.
- pigmentação: total falta de pigmentação nas bordas dos olhos, trufa ou lábios.

ANOMALIAS
- prognatismo superior ou inferior, incisivos verticalmente separados e abertos.
- ausência de dentes além dos PMl ou M3.
- agressivos ou extremamente tímidos.

NOTAS:
- Os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos e acomodados na bolsa escrotal.
- Todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.